terça-feira, 7 de agosto de 2012

ARDER EM DESATINOS



O peito queima, arde
Latente sentir invade
Desperta os sentidos
Inebria a mente 
Beijos infindos
A derme eriçada
Toques lascivos
Carícia intensa, desejada
Olhar que atiça
Decifro-te e te devoro
Vem, me enfeitiça
Teus alertas desprevino
Queo-te sem pudores ou amarras
Cometamos um desatino....

( DANIEL )

* Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite Daniel, São Paulo, SP) E que o mesmo seja avisado. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas sem prévio



Nenhum comentário:

Postar um comentário